Mário Zambujal recebeu a Medalha de Mérito Cultural da Câmara de Lisboa

O escritor e jornalista Mário Zambujal, residente na nossa Freguesia e assíduo colaborador de iniciativas culturais da Junta de Freguesia, recebeu hoje das mãos do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, a Medalha de Mérito Cultural da cidade distinguindo assim a sua carreira multifacetada que através da escrita promoveu e retratou Lisboa.

Muitos amigos, convidados e sobretudo colegas jornalistas compareceram no Jardim de Inverno do Teatro Municipal São Luiz para homenagear Mário Zambujal, numa cerimónia que contou com o testemunho de colegas e amigos como José Jorge Letria, José Nuno Martins, Virgílio Castelo, Nuno Artur Silva, Natália Luiza, Rita Ferro, Manuel Dias, Ana Sousa Dias.

A cerimónia iniciou-se com a entrega da medalha em reconhecimento pela forma como Mário Zambujal, fosse como escritor, fosse como jornalista, retratou a cidade. Debaixo de uma ovação de aplausos Mário Zambujal recebeu a medalha de Mérito Cultural das mãos de Fernando Medina.

Fernando Medina começou por dizer que a entrega desta medalha representa um testemunho e reconhecimento público àqueles que engrandecem Lisboa e tornam a cidade mais cosmopolita e mais apetecível. Agradecendo a Mário Zambujal pelo seu labor, pela sua carreira, onde passou por inúmeros títulos que hoje fazem parte da memória coletiva. A sua produção literária foi outros dos aspetos que não ficou esquecido, evocando Fernando Medina a Crónica dos Bons Malandroscomo o retrato de Lisboa num registo trágico-cómico, mas onde emerge um conjunto de personagens e de vivências que emprestam um colorido que é também uma Lisboa que não pode ser esquecida. “A Mário Zambujal o nosso muito, muito obrigado”, terminou.

Mário Zambujal começou por agradecer a distinção, e recordou quando há 70 anos chegou a Lisboa e por ela se apaixonou e na qual se foi deixando ficar. “Eu só tenho a dizer bem das pessoas, mesmo quando as pessoas são um bocadinho torcidas”, disse Zambujal com a graça que sempre o caraterizou. Histórias do Fim da Rua, outra das obras de Zambujal, foi também lembrada, pelas suas idas a Xabregas, lugar de inspiração onde Zambujal encontrou as personagens que foram dando corpo à sua obra.   “Senti-me sempre muito bem nesta cidade”, terminou Mário Zambujal com o sorriso largo de sempre.

Seguiu-se uma mesa redonda com a participação do autor, de Cristina Ovídio (da editora de Mário Zambujal), Alice Vieira e João Gobern.

Mário Zambujal estreou-se na literatura com Crónica dos bons malandros (1980), que foi adaptado ao cinema por Fernando Lopes. Produziu textos para televisão e teatro e publicou, entre outros,Histórias do fim da rua, À noite logo se vê, Primeiro as senhoras e Uma noite não são dois dias.

Enquanto jornalista passou por várias publicações e, também, pela televisão. Atualmente, aos 80 anos, é presidente do Clube dos Jornalistas.

Parabéns Mário!