Assinado o protocolo para um novo projeto BIP/ZIP 2016 em São Domingos de Benfica

O presidente da Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica, António Cardoso, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina e a vereadora da Habitação e Desenvolvimento Local, Paula Marques, assinaram no dia 17 de outubro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho o protocolo para um novo projeto BIP/ZIP 2016 – Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária, que marca o período 2016-2017.

A Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica e a Rumo – Cooperativa de Solidariedade, como promotores, e a Modatex, o Centro Social Paroquial de São Domingos de Benfica, a Associação Portuguesa de Emprego Apoiado, o Centro de Formação Profissional da Industria Electrónica Energia Telecomunicações e Tecnologias de Informação e a Fundação Aga Khan – Portugal como parceiros, vão desenvolver o projeto designado por SDE – São Domingos Emprega, a realizar no Bairro ou Zona de Intervenção Prioritária – BIP/ZIP 45. Furnas e 61. Rua Direita da Palma.

Esta é a 8º freguesia com registo de maior desemprego na cidade, sendo esta realidade particularmente acentuada nos seus territórios BIP Zip. Os bairros intervencionados são caracterizados por uma elevada taxa de desocupação e desemprego (evidenciada na carta BIP ZIP), colocando a sua população numa situação de exclusão social. Contudo existe uma grande assimetria quanto às qualificações e perfil de competências dos residentes destes bairros e os da restante população desempregada. Esta é 2ª freguesia em Lisboa com uma maior % de desempregados com nível superior (35%), num universo de cerca de um milhar de inscritos no serviço de emprego local. O elevado potencial socioeconómico da freguesia é notório, tendo 1 tecido empresarial qualificado e diversificado, com a presença de um comércio tradicional de rua bastante significativo, sendo uma oportunidade a ter em conta, para a concretização da promoção de emprego e negócios à escala da cidade que interligue as aspirações e competências dos seus Recursos Humanos ativos. A recente reabilitação do mercado de SDBenfica, bem como do CRIE da JFDSB podem vir a proporcionar amplas sinergias locais que favoreçam a empregabilidade e que urge vir a potenciar em ligação com os BIPZIP. Note-se que existe uma dinâmica em São Domingos de Benfica (nascida do projeto Power UP) e que congrega diversos parceiros numa intervenção integrada. Esta dinâmica tem vindo a afirmar-se como uma plataforma para a empregabilidade na freguesia.

O projeto assenta no trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por diversos parceiros numa intervenção integrada em de S. Domingos de Benfica que decorreu da vigência do projeto Power Up ao abrigo do programa BIP/ZIP.

Visa criar um ecossistema de empregabilidade nesta freguesia que assegure o suporte e acompanhamento personalizado aos diversos candidatos a emprego, candidatos a formação, empreendedores emergentes (criação de negócios ou iniciativas de empreendedorismo social) e a empresários previamente estabelecidos, fomentando o desenvolvimento socio-económico da freguesia com base num trabalho de parceria que mobilize os vários parceiros locais e extra locais, nomeadamente, as várias associações existentes e as empresas. Irá incrementar um sistema de empregabilidade baseado numa intervenção holística, centrada no indivíduo e considerando as questões da formação pessoal, social e profissional e empregabilidade, valorizando o desenvolvimento de competências necessárias para concorrer ao mercado de trabalho. O projeto assenta na promoção do “matching” entre as potencialidades dos desempregados e as necessidades do mercado de trabalho envolvente e no apoio contínuo às oportunidades de criação de negócios próprios, como estratégia integrada de acesso a rendimento, assim o projeto pretende testar diversas iniciativas que irão responder ao equilíbrio central que deve existir entreadequação da oferta formativa e do perfil de saída do formando face às necessidades efectivas de cada empresa.

Envolve as seguintes ações: i) fortalecimento do processo de intervenção integrada que se encontra a atuar no território; II. Ações de jobmatching e incremento de competências III. Mobilização do tecido empresarial; IV. Atelieres de criatividade, experimentação e empreendedorismo.

O projecto visa contribuir para um aumento da população empregada e qualificada nos territórios-alvo, através do trabalho em parceria, da articulação com os atores empresariais e o mercado, fomentando o desenvolvimento local. Desta forma o projeto irá potenciar o desenvolvimento do processo de intervenção integrada, a partir da actividade de um grupo de parceiros que tem vindo a desenvolver um trabalho de promoção da empregabilidade em São Domingos de Benfica, decorrente do trabalho anteriormente implementado pelo projeto Power UP. Esta parceria pretende fomentar a relação entre estruturas e organizações locais com empresas e associações empresariais, permitindo estreitar a cooperação, promovendo o trabalho em parceria como um princípio estratégico essencial ao desenvolvimento local, envolvendo organizações públicas e privadas, com e sem fins lucrativos. A ampliação do trabalho desenvolvido, designadamente no que concerne à sua comunicação externa criando suportes mais apelativos, bem como mecanismos de partilha de conhecimentos e transferência de know how entre técnicos que propiciem a criação de uma comunidade de prática ativa e qualificada nesta zona da cidade, capaz de superar os desafios da empregabilidade que se colocam na freguesia e nos territórios BIP ZIP que irão ser intervencionados.

Toda a abordagem proposta pela projeto aposta no trabalho em parceria como fator decisivo assente num modelo de governação participativo, baseado em modelos bottow up que estimulam um claro envolvimento de toda a comunidade local e do tecido empregador envolvente (quer através do estabelecimento de parcerias, quer mobilizando as parcerias já existentes que actuam nos territórios), e essencialmente por uma forma de valorização interna e externa dos recursos já existentes a partir de processos organizados de cooperação. Estas estratégias poderão vir a melhorar em grande medida a qualidade da intervenção e os efeitos multiplicadores do projecto.

O projeto irá contar com a articulação estreita com 2 centros de formação de gestão participada do IEFP (Modatex e CINEL) , que irão desenhar e construir itinerários formativos à medida e, com base nos princípios do Job matching e na auscultação de áreas estratégicas de emprego local. Estes itinerários (caráter experimental) terão em conta Processos de Tutoria individual e coletiva dos formandos e uma forte aposta no seu acompanhamento e desenvolvimento e empowerment contínuo. Terão como princípio estratégico a realização de estágios/ formações em contexto de trabalho e apoio aos mesmos, pois é estratégia crucial no aumento das questões de empregabilidade dos indivíduos em particular os que se encontram em situação de maior desvantagem. Pretende-se enquadrar em formação 80 pessoas em sectores como a geriatria e auxiliar de ação médica, pois são 2 sectores que na freguesia têm demonstrado mais necessidade de recrutamento, que cruza com as 4 unidades hospitalares que a freguesia dispõe, bem como diversos equipamentos do 3º setor dedicados à promoção do bem-estar e envelhecimento.

Desta forma a qualificação para o emprego nesta área demonstra ser estratégica e poderá vir a gerar uma bolsa de cuidadores qualificados a atuar neste setor da freguesia. O cluster digital e das novas tecnologias poderá ser outra das áreas a apostar na qualificação da freguesia em função de um aprofundamento/ auscultação.

Promovendo a melhoria e / ou aquisição de competências dos grupos-alvo, tendo em conta as necessidades do mercado de trabalho locais, visando a sua inserção profissional; o projecto foi pensado para que todas as ações sejam realizadas através das parcerias já existentes e pelas entidades chave que se encontrem na freguesia. Esta lógica de partida, assume o trabalho em parceria como um valor intrínseco e valoriza as estruturas e os órgãos de governação locais já em funcionamento. Desta forma podemos garantir efeitos de continuidade do projecto a médio prazo e uma mudança/qualificação das práticas de trabalho indutoras de empowerment institucional das organizações.

Com base nas ações experimentais, será desenvolvida uma pequena brochura que resuma os pontos-chave deste processo e os seus impactos, sendo esta uma boa prática a disseminar por outras freguesias.

O projecto pretende promover o espírito empreendedor e as competências artísticas, testar processo de experimentação profissional que estimulem a emergência competências técnicas e relacionais, bem como contextos para uma testagem/ experimentação contínua visando o reingresso ao mercado de trabalho. O encaminhamento para respostas de emprego ou auto emprego, sem o desenvolvimento de competências pessoais, sociais e relacionais, resulta, muitas vezes no abandono, desmotivação e desistência de projetos com fraca consistência e sem um período de maturação que permita a sua apropriação. Desta forma queremos desenhar processos de mentoria que estimulem o potencial empreendedor no sentido lato, que possam incluir espaços que permitam o desenvolvimento e consolidação de soft skills e a experimentação profissional tais como comunicação, liderança, criatividade, sempre com base na partilha das sinergias locais, em particular de experiências com negócios sociais existentes na freguesia e todo o seu ecossistema empreendedor. Ter-se-á em conta as dinâmicas de reabilitação do Mercado de São Domingos de Benfica e com os recursos do CRIE (centro de Recursos para o investimento e empreendedorismo) promovido pela JFSDB. Destaca-se uma perspectiva de reforço da dimensão empreendedora, na qual serão estabelecidos contactos com todo o ecossistema empreendedor existente, para que as empresas que aí funcionam possam continuar no futuro a assegurar este tipo de dinâmicas, designadamente diversas ações formação/sensibilização numa base regular, com a manutenção dos workshops quinzenais com temáticas diversas associadas às competências necessárias para projectos de empreendedorismo e de self-employment, possibilitando a abertura de um espaço de relação com iniciativas empreendedoras já instaladas e consolidadas na freguesia.

Desta forma, iremos induzir um processo de passagem e transferência do Conhecimento que assegurará um modus operandis local, auto- sustentável após o projeto.